15 July 2016

Simmone Logue Cornish Pasties / Pasteis de Cornwall da Simmone Logue.


Known and loved throughout Great Britain and Ireland, Cornish Pasties got its name after Cornwall. Arguments abound to the origins of Cornish Pasties with neighbouring Devon claiming to the origins of the pasty.
Whatever the origins, a Cornish Pasty recipe is delicious, easy and fairly quick to make.
It is generally believed that the pasty evolved for Cornish tin miners, who, unable to return to the surface at lunchtime had a hearty, easy to hold and eat, lunch dish.
With their hands often dirty from a mornings work, the pasty could be held by the thick pastry crust without contaminating the contents. The thick crust also acted as an insulator, keeping the contents warm for several hours.
Pasties were often also made with a meat filling at one end and a sweet filling of fruit or jam at the other - a complete meal in one!
While there are no set ingredients of the Cornish pasty, traditional recipes will always use minced or diced steak, onion and potato wrapped in shortcrust pastry.
Variations include the addition of swede or carrots, even peas but a Cornishman will tell you these are not the genuine article (font).
This specific recipe is from Simmone Logue beautiful book "In the kitchen" (you can read more about the book here, here and here) and it's her take on one of her childhood memories.
Although its not the original Cornish Pasty, it's absolutely divine and a pleasure to nibble on.




ingredients (makes about 20):
2 tbsp olive oil
1 onion, diced
1 carrot, finely diced
2 fresh bay leaves
1 tbsp tomato paste
250g minced beef
1 tbsp cornflour
1 tbsp Worcestershire sauce
2 tsp sea salt
1/4 tsp ground white pepper
4 tbsp chopped parsley
500g potatoes, peeled, cut into 1cm dice, then cooked until tender
1kg rough puff pastry (I made this recipe)
1 egg, beaten with 60ml milk
tomato relish, to serve
method:
Preheat the oven to 180ºC and line 2 large baking trays with baking paper.
Heat the olive oil in a large heavy based saucepan.
Add the onion, carrots and bay leaves and cook over medium heat for 10 minutes, or until softened.
Stir in the tomato paste and cook for 3 minutes.
Add the beef, breaking it up with a wooden spoon and cook for 10 minutes, or until the beef is browned and cooked through.
Mix the cornflour with 125ml of water and then add to the beef mixture.
Stir in the Worcestershire sauce, salt, pepper, half of the parsley and the potatoes. Set aside to cool.
On a lightly floured surface, roll out the pastry to 5mm thick.
Use a 14cm pastry cutter (mine has 11cm) and cut out 20 pastry rounds. Refrigerate or freeze the remaining pastry to use later.
Place a couple of heaped tablespoons (about 50g) of the beef mixture in the middle of each round.
Brush the egg wash around the outside edge of the pastry. Fold the pastry over the mixture, to make a pillow shape, then press the pastry edges together with a fork.
Brush the pasties with more egg yolk and sprinkle with the remaining parsley.
Place on the baking trays and bake for 12 to 15 minutes. or until the pastry is lovely and golden.
Serve warm or cold, with a dollop of tomato relish.
__________________


Muito, conhecidas e amadas em todo o Reino Unido e Irlanda, as Cornish Pasties, devem o nome à região de Cornwall.
Ainda hoje se argumenta sobre a sua origem, sendo esta também reclamada na região vizinha de Devon.
Origens à parte, estes pasteis, salgados, são absolutamente deliciosos, fáceis e relativamente rápidos de preparar.
Diz-se que estes pasteis foram inventados a pensar nos mineiros de Cornwall que, não podendo vir à superfície para almoçar, esta seria uma forma de terem um almoço completo, substancial, fácil de transportar e com todos os ingredientes de que necessitariam.
Consta também que o formato original dos pasteis e a sua camada de massa espessa, facilitaria a vida aos mineiros, no sentido em que, sendo fáceis de segurar, especialmente pelas mãos sujas do trabalho matinal, os mineiros os segurariam facilmente, não contaminando assim o seu interior.
Outra das versões acerca da camada espessa de massa, é a de que sendo espessa, esta protegeria o recheio e o manteria quente por várias horas.
Diz-se também que, na altura, foram criadas versões duplas destes pasteis, sendo que, de um dos extremos e até ao meio, o recheio seria salgado e do meio ao extremo oposto, o recheio seria doce (fruta ou doce), proporcionando assim aos mineiros, uma refeição completa - prato principal  e sobremesa.
As receitas tradicionais apontam para um recheio à base de carne picada ou desfiada, cebola e batata, envolto em massa quebrada.
Variações desta receita, incluem a adição de nabo ou cenouras e até ervilhas, sendo que, os mineiros não consideram esta versão como sendo a original e genuína (informação recolhida aqui).


A informação atrás citada é a que remete para os originais pasteis de Cornwall.
A receita que hoje vos deixo, diferente, pois leva massa folhada em vez de massa quebrada, não sendo a original, é absolutamente deliciosa e (opinião minha), mais fácil de comer, pois não se torna tão "massuda" como a original (que eu já provei várias vezes e é uma delícia enquanto quente, mas depois de frio já não tem tanta piada).
Esta sugestão da Simmone Logue, é uma adaptação, de uma das suas memórias de infância e dos tempos em que, de férias e à beira mar, comia estes pasteis.
A receita é do seu livro lindo, o "In the kitchen" (do qual já publiquei receitas aquiaqui e aqui).


ingredientes (para cerca de 20 pasteis):
2 colheres sopa de azeite
1 cebola, picada
1 cenoura, cortada em cubos pequeninos
2 folhas de louro (frescas)
1 colher sopa de concentrado de tomate
250g carne picada (bovino)
1 colher sopa de Maizena
1 colher sopa de Worcestershire sauce (molho inglês)
2 colheres chá de sal
1/4 colher chá de pimenta branca em pó
4 colheres sopa de salsa picada
500g batatas, descascadas, cortadas em cubos de 1cm, cozidas e escorridas
1kg massa folhada rápida (eu fiz esta receita)
1 ovo, batido com 60ml leite
relish de tomate, para acompanhar
preparação:
Aquecer o forno a 180ºC e forrar 2 tabuleiros grandes com papel vegetal.
Aquecer o azeite num tacho de fundo espesso.
Adicionar a ebola, as cenouras e o louro e cozinhar por cerca de 10 minutos, ou até os vegetais estarem macios.
Adicionar o concentrado de tomate, mexer e cozinhar por 3 minutos.
Adicionar a carne, separando-a com a colher de pau e cozinhar por 10 minutos, ou até esta estar macia e cozida.
Numa taça, desfazer a Maizena com 125ml de água e adicionar esta mistura á mistura da carne, mexendo tudo muito bem.
Adicionar o molho inglês (Worcestershire sauce), o sal, a pimenta, metade da salsa picada e as batatas e envolver tudo muito bem. Reservar e deixar arrefecer.
Entretanto, estender a massa sobre uma superfície ligeiramente enfarinhada, até obter uma espessura de cerca de 5mm.
Usando um cortador com 14cm de diâmetro (o meu só tinha 11cm), cortar 20 círculos de massa (guardar a massa que sobrar no frigorífico ou congelá-la, para outras utilizações).
Colocar cerca de 50g do recheio no centro de cada círculo de massa.
Pincelar os bordos da massa com o ovo batido e dobrar a massa sobre o recheio (tipo um rissol), prensando os bordos com um garfo, por forma a que o recheio fique bem protegido e a massa fique bem unida.
Colocar os pasteis nos tabuleiros preparados, pincelar as suas superfícies com o ovo batido e polvilhá-los com a restante salsa picada.
Colocar os tabuleiros no forno e cozer os pasteis por 12 a 15 minutos, ou até estes estarem bem douradinhos (os meus demoraram cerca de 20 minutos).
Servir os pasteis quentes ou frios, acompanhados pelo relish de tomate.

Recipe / Receita: